Participe no nosso blog!

leia mais »

Em breve AdductioPress

leia mais »

Adductio, uma empresa eclética

LOCALIZAÇÃO

A Adductio é uma empresa com instalações próprias generosamente dimensionadas, repartidas, mas todas bem localizadas, especialmente as existentes num importante nó rodoviário de Lisboa (próximo dos cruzamentos do Eixo Norte-Sul e da Av. Lusíada com a Segunda Circular, com excelentes saídas para outros pontos de Lisboa, a Ponte 25 de Abril, a CRIL, a IC19, a A1 e Odivelas. Além disso está a 5 minutos de automóvel do Aeroporto de Lisboa, situação que tem favorecido trabalhos em consórcio com empresas estrangeiras. Na zona existem importantes infra-estruturas tais como a zona histórica de Carnide, o Centro Comercial Colombo, o Hospital da Luz e dos Lusíadas, o Colégio Militar, as Torres de Lisboa, a mata Bensaúde, o Colégio Militar, o  Colégio Alemão, os Estádios da Luz e de Alvalade e as estações de Metro de Telheiras, Alto dos Moinhos ou Colégio Militar.

GÉNESE E ÂMBITO DE ACTUAÇÃO

A Adductio é uma empresa ecléctica, realmente muito abrangente... Poderia ser uma SGPS, dada a largura da sua actividade mas prefere concentrar tudo numa empresa dividindo as especialidades por departamentos.

Este facto é emergente logo da própria designação social (Adductio, Ambiente e Informática, L.da). Ambiente é um termo muito lato, considerando não só as componentes ligadas aos estudos e projectos ambientais e particularmente de engenharia sanitária, onde existe a maior especialização interna, como a outros aspectos da engenharia, arquitectura e economia, sempre com valor ambiental acrescentado como objectivo. Mesmo na área mais tecnológica a empresa encontra-se habilitada a tratar assuntos como coordenação, planeamento, concepção, pormenorização, fiscalização, exploração (com ou sem construção) e a formação. Informática tem origem numa componente que energizou a “marca”. Não se tratar de vender, representar equipamentos e soluções, mas de desenvolvê-las e comercializá-las. Na área de informática abriram-se, entretanto, mais duas áreas, além do desenvolvimento de software técnico e da formação sobre o que se desenvolve: a tradução informatizada, assistida por especialistas e a concepção e processamento informático de conteúdos multimédia, particularmente de vídeo, especialmente no campo do ambiente, mas também em conteúdos comerciais de televisão.

O facto de ter uma origem muito ligada aos meios académicos, particularmente à Universidade Nova de Lisboa, onde recruta maioritariamente os seus recursos humanos (na FCT, FCSH e FE) e ao Instituto Superior Técnico faz com que tenha apoiado iniciativas de estudantes  e ex-estudante, de forma semelhante a startups,  com filosofias e modus operandi diversos. O Pacto social da empresa é muito geral permitindo intervenções especiais.

FORMA DE FUNCIONAMENTO

A Adductio tem desempenhado ao longo dos anos um papel pós-formador de jovens recém-formados de elevado potencial, a quem dá oportunidades de responsabilidade, promovendo o seu crescimento técnico e humano. Tem constituído, nessa perspectiva um alfobre para outras empresas que aí têm recrutado colaboradores com dois a quatro anos de experiência, mas na realidade muito mais alavancada. No espírito da empresa está a felicidade de lançar pessoas com marca de sucesso e ao saírem  permitirem a entrada de novos valores. Não tem esta política para beneficiar de qualquer subsídio, porque até à data nunca concorreu ou beneficiou de qualquer apoio ao suporte de estagiários. Também não mantém estagiários ou outro qualquer colaborador sem remuneração porque acredita que só pode haver responsabilidade se houver contrapartida para o trabalho. Para incentivar o trabalho inicial promove uma política de aumentos de honorários em função da curva de crescimento de experiência e competência, os quais ocorrem semestralmente, pelo menos nos primeiros anos.

Mantém um núcleo duro sénior que gere todas estas colaborações e recorre a consultores externos de elevada qualidade e experiência, todos profundamente seniores e muito fiáveis. Está no entrosamento entre estas duas vertentes: experiência/veterania + juventude/energia/vontade de inovar que tem estado a base do sucesso da empresa.

Os seus não clientes

A Adductio não tem como clientes directos empresas do universo da Águas de Portugal. Indirectamente sim, bastante. É estranho, uma vez que essas empresas constituíram o motor do crescimento das nossas concorrentes mais directas. A opção foi estratégica e não um exercício de arrogância para com o maior cliente de engenharia sanitária existente em Portugal. Desde logo pela forma como se localizou no mercado das concessões de sistemas públicos de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais, assessorando concorrentes da AGS (Grupo AdP), especialmente a CGE/Veolia. E depois por ter preferido o mercado do projecto final, especialmente em concursos de concepção-construção.

Não há uma visão estática desta estratégia. No futuro outras opções poderão surgir, quando se clarificarem muitas nuvens do mercado

Qualidade

A Adductio não está certificada em termos de qualidade. Mais uma vez uma opção. Não que não seja uma empresa de qualidade, mas que se tem recusado (não se sabe até quando) a aceitar que possuir qualidade é cumprir uma série de regras estáticas e burocráticas, queimando energia que deverão ser canalizadas para tarefas de produtividade elevada com qualidade sempre maximizada. Entende ser mais importante utilizar os recursos em acções de produção e apetrechamento técnico, dando liberdade aos seus colaboradores, em vez de lhes colocar camisas-de-força burocráticas, criadoras de mal-estar real.

A Adductio não receia não conseguir atingir a qualidade ideal quando os meios disponíveis, nomeadamente o tempo, não são os necessários. Em discussão aberta com os clientes avalia a hipótese de atingir objectivos mínimos com recursos deficitários. Nunca foi um trabalho recusado por falta de tempo ou outros meios. Simplesmente há a noção do que é possível atingir e essa questão é discutida com o cliente. Muitos casos de sucesso foram operados dentro da Adductio, por vezes no socorro a firmas teoricamente concorrentes, mas também amigas.

Entre os colaboradores há um grande espírito de entreajuda para superar objectivos aparentemente impossíveis. Nesta empresa é proibido dizer a palavra “Impossível”.

(In)Formalidade, bom-humor

A Adductio está ligada de alguma forma à comédia (associação estranha, na verdade, mas real). Por isso não tem receio em transgredir na forma de pensar, de escrever, de comunicar, desde que o resultado efectivo para o cliente seja de grande qualidade.

O ambiente interno é de constante informalidade. Ali não há “casual days”. Em todos os dias se vem desportivo e os clientes são convidados a seguir o exemplo. Não há nomes importantes, cargos importantes, projectos importantes. Tudo é importante: desde calcular o betão mais optimizado até servir a chávena de café ou atender o telefone. Tudo tarefas para engenheiros, arquitectos, economistas e outros profissionais qualificados.

Não é verdade que exista sempre o bom-humor mas não há anotações de grandes depressões individuais ou colectivas.

No fundo, também é uma empresa rebelde. Este texto terá sido um exemplo disso…